Tag: Arte

Antes de escrever poesia

26/04/2003 by in category Poemas, Vídeos tagged as , , ,

Antes de escrever poesia  aprenda a dançar samba, para os dias da semana  reggae, para os dias de sol  tango, para os dias de lua cheia sinta a poesia dos pés a cabeça  enquanto ela passa pela sua coluna. Antes de escrever poesia aprenda a beber água  sinta a falta de gosto sinta a falta […]

0 0 Read more

Até a última gota

26/04/2003 by in category Crônicas tagged as , ,

Fiquei órfão de mais um seriado. Estou passando pelas cinco fases dos impacientes terminais. Já neguei, briguei, deprimimimi e tentei barganhar sobrevida com os reviews do youtube, que outrora fiz tanta questão de evitar. Nada satisfaz. Nada reconforta. Nada faz a vida voltar a ter sentido.  Quem me deixou lost dessa vez foi o seriado Mad […]

0 0 Read more

Criatividade

24/04/2003 by in category Poemas tagged as , ,

A criatividade sai pelo cu do novo como galinha que defeca um palpite fora de hora e declara: — gema!

0 0 Read more

Eu vou para Jacarepaguá

22/04/2003 by in category Crônicas tagged as , , ,

Sou caipira pira pora. Só aos 15 anos de idade, quando meus pais me mudaram para São Paulo, descobri que existia elevador e guitarra. O rock mais pesado que tocava na minha vitrola era Estúpido Cupido. “Bbbbbbbbrrrrrrrrrrrrrr! Eu vou pra Jacarepaguá!”. Adorava essa frase! Meu lance com música já era mais com as palavras do que com as notas. […]

0 0 Read more

Homem avestruz

19/04/2003 by in category Crônicas tagged as , , , ,

Adoro artistas de rua. Me lembro de um chamado Homem Avestruz, que vendia uma pomada de peixe-elétrico que servia para passar em tudo, até no vestibular! Avestruz engolia relógios, garfos, cacos de vidro, tesouras, e, no ponto alto do show, engolia um cadeado fechado e depois o retirava aberto do estômago. Certa vez, passei pela […]

0 0 Read more

Mama mia africana

14/04/2003 by in category Crônicas tagged as , ,

Uma loja de discos perto de casa estava promovendo pocket shows para aumentar as vendas. O publico nunca passava de um punhado de gatos descapitalizados como eu. Deve ser por isto que a loja faliu. Mas enfim, certo dia, quase na hora do show começar, um neguinho que estava conversando na platéia, subiu no palco, pegou o […]

0 0 Read more

Nono funk do MC Betão

13/04/2003 by in category Diálogos tagged as , , ,

Beethoven entrega as partituras da nona sinfonia ao produtor da gravadora. — Fala sério, Beethoven, precisa disso tudo? — Claro que precisa! É uma obra de arte. — E aquele dinheiro que te prometi? Está precisando daquele dinheiro também? — Sim, muito! — Então melhor a gente diminuir essa banda. — Não é uma banda, […]

0 0 Read more

Novo Chico

13/04/2003 by in category Crônicas tagged as , , , ,

Certa vez, na sauna do clube, que é um ambiente masculino e adulto, ouvi um cara falando: “Eu faço terapia. É o melhor investimento que uma pessoa pode fazer na vida, entender como funciona por dentro. Mudou minha vida!”.  Uau! Vem surgindo um novo cabra macho! Pensei. Trabalho com autoconhecimento. É raro homem que tenha […]

0 0 Read more

O que vou dizer?

12/04/2003 by in category Poemas tagged as , ,

O que vou dizer se chico já disse tudo e antes dele vinícius e antes deles noel? O que vou explicar se aristóteles já explicou tudo e antes dele platão e antes deles pitágoras? Do que vou reclamar se raul já reclamou de tudo e antes dele bob e antes deles lúcifer? O que vou […]

0 0 Read more

Pecado de poeta

11/04/2003 by in category Poemas tagged as , , , ,

Não se envaideça a mão também escreve o poema a narina, o fígado o café da manhã a notícia lida de ponta cabeça. Não se envaideça com o troféu com as palmas não amarre a alma na obrigação de atingir uma meta. Aliás, errado se envaideça sim mas não sozinho vá até a praça multiplique e compartilhe o […]

0 0 Read more
12

AUTOR


Meu nome é Marcelo Ferrari. Nasci ontem. Quando fiz dez anos, completei dezoito. Tenho um chinelo azul com alça vermelha que não serve para poesia. Escrevo o que a inspiração põe e a expiração tira. Não uso heterônimos, sou usado por eles. Só sei ser sendo, dançar dançando, escrever escrevendo e ferrari ferrariando. Minha literatura não é pá pum e pronto! É pá pum escreve. Pá pum lê. Pá pum edita. Pá pum relê. Pá pum reedita. Pá pum rerelê. Pá pum rereedita. Até que pá puta que pari! Nunca estarei ponto! E pronto! Me imagine tocando violão. Sempre. Ininterruptamente.

        

Scroll Up