Abismado

26/04/2003 by na categoria Poemas tagged as , , with 0 and 0

Dia após dia
ele caminhou
até a beira do abismo
e pulou.
Passo após passo
ele caminhou
até a beira do abismo
e pulou.
Vez após vez
ele caminhou
até a beira do abismo
e pulou.
Até que parou.
— Por que parou? — perguntei.
— Não tenho mais medo
— ele respondeu.

Acorda Nego!
© 2018 · Marcelo Ferrari