Pá pum próximo!

11/04/2003 by na categoria Crônicas tagged as , , , with 0 and 0

Parecíamos astronautas usando capacetes e capas de chuva. Só que ninguém reparava. Éramos motoboys. Éramos a rotina do cartório. Éramos o lado de fora do balcão. O lado de dentro eram os robôs pá-pum-próximo.

Documento. Pá-pum-próximo. Documento. Pá-pum-próximo. Documento. Pá-pum-próximo. Documento. Pá-pum-próximo. Documento. Pá-pum-próximo….

Mas haviam exceções. Estrangeiros. Pessoas que pareciam enxergar na repetição de mesas, papéis, carimbos e capacetes, algum tipo de novidade invisível. Chegavam sorridentes, perfumadas e não entravam na fila, iam direto para sala branca.

Enquanto esses estrangeiros assinavam a certidão de matrimonio, dava para ver o escriturário coçando o saco e olhando no relógio. Para os estrangeiros, aquele era O DIA, para o escriturário, era UM DIA. Mais um, no qual se empenhava arduamente em transformar em MENOS UM batendo o carimbo: pá-pum-próximo.

Ovo ou galinha?
Pai ausente
© 2018 · Marcelo Ferrari