Meu nome é Marcelo Ferrari. Nasci ontem. Quando fiz dez anos, completei dezoito. Tenho um chinelo azul com alça vermelha que não serve para poesia. Escrevo o que a inspiração põe e a expiração tira. Não uso heterônimos, sou usado por eles. Só sei ser sendo, dançar dançando, escrever escrevendo e ferrari ferrariando. Minha literatura não é pá pum e pronto! É pá pum escreve. Pá pum lê. Pá pum edita. Pá pum relê. Pá pum reedita. Pá pum rerelê. Pá pum rereedita. Até que pá puta que pari! Nunca estarei ponto! E pronto! Me imagine tocando violão. Sempre. Ininterruptamente.

   

[email protected]

Respeitocada

09/04/2003 by na categoria Poemas tagged as , , , , with 0 and 0

Talvez eu dê clara 
Talvez eu dê clame
Talvez eu dê gema
Talvez eu dê rame
Não prometo boca calada
mas respeitocada

Talvez eu dê peixe 
Talvez eu dê Chê Gue vara
Talvez eu dê sista
Talvez eu dê na sua cara
Não prometo cruz nem espada
mas respeitocada

Talvez eu dê no primeiro encontro
Talvez eu dê more
Talvez eu dê ixe fluir
Talvez eu dê core
Não prometo tabuada
mas respeitocada

Talvez eu dê vaneie
Talvez eu dê va não
Talvez eu dê vazio
Talvez eu dê vazão
Não prometo nada
mas respeitocada

Reflexões de um bosta
Ressuscite sua felicidade
© 2018 · Marcelo Ferrari