Orema da humanidade

12/04/2003 by in category Oremas, Poemas tagged as , , , with 0 and 0

Não sou só índio, sou índio também.
Não sou só branco, sou branco também.
Não sou só negro, eu sou negro também.
Não sou só brasileiro, sou brasileiro também.
Não sou só americano, sou americano também.
Não sou só pobre, sou pobre também.
Não sou só rico, sou rico também.
Não sou só religioso, sou religioso também.
Não sou só ateu, sou ateu também.
Não sou só bandido, sou bandido também.
Não sou só policia, sou policia também.
Não sou só homem, sou homem também.
Não sou só mulher, sou mulher também.
Não sou só oprimido, sou oprimido também.
Não sou só opressor, sou opressor também.
Não sou só povo, sou povo também.
Não sou só governo, sou governo também.
Não sou só, sou junto.
Não sou separado,
sou pai, filho, espírito santo
também.

Leia mais:
Morre um pouco Todo homem morre um pouco quando mata se não morre fica louco quando...
Vida de porta guarda... Conversando com um porta guardanapos. — Só de boa, einh mano? — O que foi...
Fodeu Fodeu! Fazê o quê se não aconteceu? Fazê o quê se escreveu não leu? ...
Espalhe a palavra!

Marcelo Ferrari


Nasci ontem. Quando fiz dez anos, completei dezoito. Tenho um chinelo azul com alça vermelha que não serve para poesia. Escrevo o que a inspiração põe e a expiração tira. Não uso heterônimos, sou usado por eles. Só sei ser sendo, dançar dançando, escrever escrevendo e ferrari ferrariando. Minha literatura não é pá pum e pronto! É pá pum escreve. Pá pum lê. Pá pum edita. Pá pum relê. Pá pum reedita. Pá pum rerelê. Pá pum rereedita. Até que pá puta que pari! Nunca estarei ponto! E pronto! Me imagine tocando violão. Sempre. Ininterruptamente.

emailferrari@yahoo.com.br
 

    


© 2017 · FERRARIANDO · Marcelo Ferrari
Scroll Up