SÉRIES


ÍNDICE A-Z

P
S

Daily Archives: 26/04/2003

Abismado

26/04/2003 by in category Poesia tagged as , ,

Dia após dia ele caminhou até a beira do abismo e pulou Passo a passo ele caminhou até a beira do abismo e pulou Vez após vez ele caminhou até a beira do abismo e pulou Até que parou — Por que parou? — perguntei — Não tenho mais medo — ele respondeu

0 0 Read more

Acredite

26/04/2003 by in category Imperativos, Poesia, Vídeos tagged as , , ,

Acredite no que quiser você é livre para isso! O que vem para você vem só para você é convite VIP ninguém recebe o mesmo O que vem para você é semente de você mesmo é o apito do trem louco o que vem o que vem o que vem é chamado para novas estações Se você acredita […]

0 0 Read more

Açúcar e sal

26/04/2003 by in category Músicas, Poesia tagged as , ,

Todo amor, todo mar, sobe e desce como tem de ser no mesmo lugar a dor e o prazer paradoxal como açúcar e sal Todo amor, todo rio, corre dia e noite contra a sorte pra morrer no mar de onde partiu paradoxal como açúcar e sal A chuva molha o sol evapora o tempo […]

0 0 Read more

Adão no catecismo

26/04/2003 by in category Prosa, Vídeos tagged as , ,

Não lembro perfeitamente como a professora do catecismo explicou, mas era algo como visão de raio-x, onde Deus via até através das paredes. “Mas ele vê tudo, professora?” A gente perguntava. “Sim, ele vê tudo”, ela respondia. “Mas ele vê tudo, tudo, tudo, tudo mesmo?” Insistíamos. “Tudo, tudo, tudo”, ela afirmava catecismicamente. Era duro aceitar […]

0 0 Read more

Admita

26/04/2003 by in category Imperativos, Poesia, Vídeos tagged as , , ,

Primeiramente admita seu medo de admitir coleira que controla o limite da sua sinceridade Segundamente admita que mente que mentiu ontem quando disse à João que Pedro mora no seu coração de pedra Admita seu espírito de porco anti-olímpico que não sabe perder mas finge que sabe Admita que várias vezes várias vezes várias vezes […]

0 0 Read more

Afasta de mim esse táxi

26/04/2003 by in category Prosa tagged as , ,

Olho pela janela do táxi e vejo um ônibus. Viajo na ideia de que a vida é um coletivo de almas. Uns sobem, outros descem, fica cheio, vazio, meio-vazio, meio-cheio e cada ponto é final e partida. Tem branco, negro, japonês, loiro, magro, alto, gordo, baixo, criança, velho, empregado e patrão. Raimundos e fundos, Veras […]

0 0 Read more