Vida de tupperware

05/04/2003 by in category Diálogos, Vida das Coisas tagged as , , , , with 0 and 0

Conversando com uma tupperware.

— Meu nome é “tupperware”.
— Foi o que falei “tapever”.
— Você falou “tapever”. Meu nome é “tupperware”, com som de “u” no final
—”Tapevur”????
— Não! É “tupperware”. O começo tá certo, “tap”. No final faz um biquinho daqueles de tirar selfie e depois abre a boca rápido como um leão rugindo: “ware”.
— “Tape… ruorrrr”… É assim?
— Oh Lord! Acho melhor você me chamar de “tapever” mesmo.
— Onde foi arranjar um nome tão estranho? Por que não escolheu um nome mais fácil como Pindamonhangaba? Até falar liquidificador é mais fácil.
— Meu nome é em inglês.
— Inglês?! Porque não falou antes?! Luque de boi.
— Look the boy!
— Isso! Luque de boi
— Não é boi, é boy.
— Boi.
— Boy.
— Boi.
— Boooooy.
— Boooooi.
— Não é boi, é boooooy. Boy.
— Boi.
— Boi é bicho. Boy é menino.
— E menina?
— Menina é girl.
— Gir.
— Tem um “l”, é girl.
— Gil.
— Tem “l” e “r”, é girl.
— Grill
— Não grill é eletrodoméstico.
— Isso! Grill Jorge Bem, pra fazer xis burgui.
— A pronuncia é “cheese burguer”.
— Isso. Igual no Meque Donaldi.
— Essa pronuncia você quase acertou: “Mac Donalds”! 
— Sempre passo lá de carro na volta do serviço.
— Vai no Drive Thru?
— Vai você!!!! Fuquiu!

Leia mais:
Dinheiro é papel com... Dinheiro é papel com tinta A grana não me engana, mas tenta Dinheiro é...
Joia de família — Toma pra você. — O que é isto, pai? — É um problema. — O que faço co...
Vida de tomada Conversando com uma tomada de três pinos. — Tá maluco, é? — O que foi? ...
Espalhe a palavra!

Marcelo Ferrari


Nasci ontem. Quando fiz dez anos, completei dezoito. Tenho um chinelo azul com alça vermelha que não serve para poesia. Escrevo o que a inspiração põe e a expiração tira. Não uso heterônimos, sou usado por eles. Só sei ser sendo, dançar dançando, escrever escrevendo e ferrari ferrariando. Minha literatura não é pá pum e pronto! É pá pum escreve. Pá pum lê. Pá pum edita. Pá pum relê. Pá pum reedita. Pá pum rerelê. Pá pum rereedita. Até que pá puta que pari! Nunca estarei ponto! E pronto! Me imagine tocando violão. Sempre. Ininterruptamente.

emailferrari@yahoo.com.br
 

    


© 2017 · FERRARIANDO · Marcelo Ferrari
Scroll Up