Vida de porta guardanapo

05/04/2003 by na categoria Diálogos, Vida das Coisas tagged as , , with 0 and 0

Conversando com um porta guardanapos.

— Só de boa, einh mano?
— O que foi? Tá falando comigo?
— Vai fumar um, né? 
— Fumar um?
— Isso! Vai dar um tapa na pantera? Fumar um beque?
— Como é que você sabe?
— Como é que eu sei!??? Olha o que você acabou de pegar dentro de mim.
— Só peguei um guardanapo!
— Sei! E para que? Você está gripado? Deve estar, né? Com um olho vermelho assim!
— Entrou um cisco no meu olho!
— Nos dois de uma vez?
— Pois é, puta azar.
— E o guardanapo, para que é?
— Pra que? Pra que? Para tirar o cisco!
— Usa papel higiênico! É mais suave, vai agredir menos seus olhos.
— Papel higiênico não vai funcionar.
— Por que não?
— Ora, porque… porque… porque meu olho é muito oleoso.
— Seu olho é muito oleoso!!!!
— Muito oleoso! Muito mesmo!
— E dai!??
— E dai que… que… que preciso usar um papel tipo esse que embrulha salgadinho, coisa oleosa, entendeu?
— Kkkkk… Em toda minha vida de boteco, essa foi a melhor desculpa que já ouvi. 
— Você pergunta isso para todo mundo?
— Claro! É a parte mais engraçada do meu dia! Ouvir as mentiras que vocês me contam quando vem pegar guardanapo.
— Quer dizer que você sabe para que é?
— Todos aqui no boteco sabem. Até meu fabricante sabe.
— Que vergonha!
— Relaxa! Eles também pegam cisco no olho.
— Hehehe… Pode crê!
— Vai lá! A gente volta a conversar quando bater a larica.

© 2018 · Marcelo Ferrari