Tag: Problema

Água e sabão

26/04/2003 by in category Músicas tagged as , , ,

Tudo amolece com água e sabão Tudo amolece com água e sabão Tudo, tudo, sem exceção com água e sabão Ela diz que para tudo tem jeito que tem jeito até pro que não tem ela diz que com água e sabão eu amoleço também Ela diz e repete o bordão água mole bate em […]

0 0 Read more

Atualizando a felicidade

26/04/2003 by in category Poemas tagged as , ,

Limpe o cashe delete os arquivos medo.exe e tem.que do navegador edite o perfil rasgue os contratos apague os links com corretor. Ligue para o provedor marque uma consulta vá até o paraíso e pague a multa quer dizer, a dívida quer dizer, a dúvida quer dizer, di e du fique só com a vida. Coloque os fantasmas […]

0 0 Read more

Bhagavad grita

25/04/2003 by in category Poemas tagged as , , , ,

Stanley Kubrick arremessou o osso no espaço e não há mais espaço para o ócio. Galinhas produzem ovos para produzir omeletes para produzir restaurantes para produzir homens para produzir (a) verdade. Steven Spielberg foi de volta para o futuro e não há mais tempo para o presente. Galinhas para devir ovos para devir omeletes para […]

0 0 Read more

Bipoema

25/04/2003 by in category Poemas, Vídeos tagged as , , ,

É meu favorito. Detesto! Uhmmmmmm… Que nojo! Muito importante. Foda-se! Tem mas acabou. Uma vez flamengo: vai curintia! Foi sensacional! Uma bosta! Bem me quer mal me quer. Tem dia que de noite é outro dia! Amo muito tudo isto! Me tira daqui. O diabo é pai do rock. Deus me livre! Concorda comigo? Nem […]

0 0 Read more

Boacumba para curar reclamação

25/04/2003 by in category Boacumba, Crônicas tagged as , , ,

Ingredientes: Sal grosso, um saco plástico (dos grandes), 1 caderno, 1 lápis, 1 cadeira, 1 régua de 30 cm, 1 giz branco, 1 caneca, 1 mala sem alça. Preparo: Durante um mês, toda vez que sentir vontade de reclamar de algo, pegue o lápis e escreva no caderno qual é o certo. Por exemplo: “O certo é […]

0 0 Read more

Boacumba para matar segunda feira

25/04/2003 by in category Boacumba, Crônicas tagged as , ,

Ingredientes: Amido de milho Mãe Zena, pipoca, tesoura, um boneco voodoo do seu chefe, um despertador quebrado, sal, chocolate do padre, primeira e segunda temporada da sua série preferida de televisão (lost, friends, os normais, etc), batom vermelho, uma folha de papel sulfite e óleo de semente de girassol. Preparo: No domingo a noite, ao […]

0 0 Read more

Cadê os Caras?

24/04/2003 by in category Crônicas tagged as , , , ,

Cadê os Caras? Não sei! Ninguém sabe! Sei que os Caras estão na política, na religião, na cultura, na pequena e na grande área. Sei que os Caras são uns filhos da puta, que são foda, que não entendem porra nenhuma. Sei que a culpa é dos Caras. Claro! É óbvio que a culpa é […]

0 0 Read more

Céu de aspirina

24/04/2003 by in category Poemas tagged as , , , ,

Bobo, bobo, bobo me distraia contando fofocas babaleias dando cambalhota e caindo feito bosta. Bobo, bobo, bobo meu vicio é ruim mas é meu me mata mas aos poucos e não tenho pressa. Bobo, bobo, bobo não obrigado! mil vezes ver meu poder e pudor cagado pelo seu descaso e humor. Bobo, bobo, bobo não quero […]

0 0 Read more

Desista

23/04/2003 by in category Imperativos, Poemas, Vídeos tagged as , , , ,

Você acredita que a resposta  está no livro do coelho? No disco do lobão? No horóscopo chinês? Na poesia russa? Num evangelho que ainda não foi escrito por um cara que ainda não nasceu que mora num planeta que ainda não foi descoberto? Desista! Não sei quem foi que lhe disse nem por que acreditou, porém […]

0 0 Read more

Digo Digo

23/04/2003 by in category Poemas, Vídeos tagged as , ,

Quando digo digo digo digo não digo diogo. Quando digo diogo digo diogo não digo digo. Esse é o problema quando um poema diz digo não diz digo nem diz diogo diz mas não diz desdiz o dito quer dizer, digo quer dizer, diogo Entendeu? Ou quer que digo de novo?

0 0 Read more

Marcelo Ferrari


Nasci ontem. Quando fiz dez anos, completei dezoito. Tenho um chinelo azul com alça vermelha que não serve para poesia. Escrevo o que a inspiração põe e a expiração tira. Não uso heterônimos, sou usado por eles. Só sei ser sendo, dançar dançando, escrever escrevendo e ferrari ferrariando. Minha literatura não é pá pum e pronto! É pá pum escreve. Pá pum lê. Pá pum edita. Pá pum relê. Pá pum reedita. Pá pum rerelê. Pá pum rereedita. Até que pá puta que pari! Nunca estarei ponto! E pronto! Me imagine tocando violão. Sempre. Ininterruptamente.

emailferrari@yahoo.com.br
 

    


© 2017 · FERRARIANDO · Marcelo Ferrari
Scroll Up