Tag: Mulher

Ave Maria

26/04/2003 by in category Músicas tagged as , ,

Ave Maria que passa Ave Maria cheia de graça Descalça pelo meio fio Eu assobio, você disfarça Maria você é um pecado eu sou um romeiro seguindo o cortejo Misericórdia, Maria se não for heresia me dá um beijo Me dá um beijo Maria me dá um beijo Maria me dá um beijo Maria me […]

0 0 Read more

Botão do amor

25/04/2003 by in category Crônicas tagged as , ,

Apertei a barriga do cachorrinho de pelúcia e uma voz mecânica dentro do brinquedo me disse: “I love you”. Me lembrei do filme Mulheres Perfeitas, onde as esposas da cidade eram robôs. O marido apertava um botão e a esposa fazia almoço, apertava outro botão e a esposa trazia os sapatos, apertava outro botão e […]

0 0 Read more

Carnaval caipira

24/04/2003 by in category Crônicas tagged as , , , , , ,

Donana pega um balde de latão e sai pelo terreiro. Enquanto caminha, vira o balde em posição de tambor e começa a batucar uma folia de reis. As galinhas, hipnotizadas pelo samba caipira, vão surgindo das árvores, das cestas, das moitas e até de outras dimensões. Donana enche o balde com grãos de milho e […]

0 0 Read more

Casal maior da constelação

24/04/2003 by in category Crônicas tagged as , , ,

Tenho uma amiga, terapeuta de constelação familiar, que parece um disco riscado de tanto que repete a mesma frase: “Sejam gratos a suas mães, pois foram elas que lhes deram a vida”. Desconsiderando a parte sobre o que é vida, e também a suposta doação, o problema não é que as mães nos deram a […]

0 0 Read more

Compreenção com cedilha

24/04/2003 by in category Crônicas tagged as , , , , ,

Socorro parou em frente a gôndola. Encarou o fetiche de páscoa. Com aquele dinheiro dava para comprar três sacos de feijão. Chumbinho vivia cantando Bob Marley no bar dos sujismundos. Socorro disse que era para o neto. Mentiu. Socorro não sabia ser pagã, nem brincar de boneca. Chumbinho não tinha onde existir. Quando o ovo de páscoa fez “bip”, Socorro sentiu-se […]

0 0 Read more

Coitada

24/04/2003 by in category Poemas tagged as , , , ,

Coitada! – Coitada por que? Porque o queixo é alpinista porque não serve nem para estepe porque chora assistindo novela. Coitada! – Coitada por que? Porque o ombro pede esmola porque tem coragem tem direito mas não tem peito. Coitada! – Coitada por que? Porque o cabelo é ruim a unha é ruim o pé fede […]

0 0 Read more

Contando ovos

24/04/2003 by in category Poemas tagged as , , , ,

Ela não conta ovos conta pérolas conta diamantes conta prosa amarradas em dúzias pelo barbante da imaginação teimosa. Ela não conta ovos reza um rosário conta poesia seu braço é extensão do pensamento seu ato é tempo e espaço em eucaristia. Ela não conta ovos conta memórias feitas com farinha conta dias rugas e estrias […]

0 0 Read more

Dia das donas

23/04/2003 by in category Crônicas tagged as , , ,

Dona Florinha, Dona Zefa, Dona Neusa, Dona Regina, Dona Fátima, donas do mundo, donas da razão. Se o filho é pródigo, o apocalipse vem de chinelo. Pobres bundas carnais. Deus permite. Abençoa. Afinal, deus não tem mãe. Não moro mais com minha dona, mas durante a semana vou almoçar no útero. Comida sem sal, água […]

0 0 Read more

Ela suporta

22/04/2003 by in category Poemas tagged as , , ,

Ela suporta os porres do marido os podres do padre o jogo do bicho a bituca de cigarro. Ela suporta o batom da prostituta a declaração esculpida o bife acebolado o resto de comida. Ela suporta os cotovelos as porradas do truco o batuque do samba a parafina da vela. Ela suporta a culpa a […]

0 0 Read more

Ela não faz boquete

22/04/2003 by in category Crônicas tagged as , , ,

Essa mina é loca! #tipoanitta! Muito mais loca que Anitta. #elafazboquete? Não mano! Escuta! A mina acordou pilhada. Atrasada para um compromisso. Eu estava no computador, escrevendo. #elafezumboquete! Não mano! Eu estava escrevendo um treco, super concentrado. A mina pilhada. Escovou os dentes, trocou de roupa, tomou café e tal. Passado uns vinte minutos…   #elafezumboquete! […]

0 0 Read more
12

Marcelo Ferrari


Nasci ontem. Quando fiz dez anos, completei dezoito. Tenho um chinelo azul com alça vermelha que não serve para poesia. Escrevo o que a inspiração põe e a expiração tira. Não uso heterônimos, sou usado por eles. Só sei ser sendo, dançar dançando, escrever escrevendo e ferrari ferrariando. Minha literatura não é pá pum e pronto! É pá pum escreve. Pá pum lê. Pá pum edita. Pá pum relê. Pá pum reedita. Pá pum rerelê. Pá pum rereedita. Até que pá puta que pari! Nunca estarei ponto! E pronto! Me imagine tocando violão. Sempre. Ininterruptamente.

emailferrari@yahoo.com.br
 

    


© 2017 · FERRARIANDO · Marcelo Ferrari
Scroll Up