Imperativos

Acredite

Acredite no que quiser: você é livre para isso. O que vem para você, vem só para você, é convite vip, ninguém recebe o mesmo. O que vem para você é...

Admita

Primeiramente admita seu medo de admitir coleira que controla o limite da sua sinceridade. Segundamente admita que mente que mentiu ontem quando disse à João que Pedro mora no seu coração de...

Caminhe homem

Caminhe, homem.  Assim como contam seus irmãos de pés cascudos. Assim como sonham seus irmãos de pés de seda. Caminhe ereto,  com a sombra amarrada aos calcanhares, com olhos de...

Dê!

Dê o que tiver o que só você pode dar: ímpar. Dê espaço ao sufocado desconto ao freguês olhar quarenta e três bolacha mordida na metade ombro mil e uma utilidades. Dê beijo, abraço...

Desista

Você acredita que a resposta  está no livro do coelho? No disco do lobão? No horóscopo chinês? Na poesia russa? Num evangelho que ainda não foi escrito por um...

Erre

Erre! Com dois erres. Com todas as letras. Mije fora do vaso. Mire fora do alvo. Ninguém nasce pecado original para viver de fotocópia. E dai que os cisnes...

Espalhe a palavra!

Marcelo Ferrari


Nasci ontem. Quando fiz dez anos, completei dezoito. Tenho um chinelo azul com alça vermelha que não serve para poesia. Escrevo o que a inspiração põe e a expiração tira. Não uso heterônimos, sou usado por eles. Só sei ser sendo, dançar dançando, escrever escrevendo e ferrari ferrariando. Minha literatura não é pá pum e pronto! É pá pum escreve. Pá pum lê. Pá pum edita. Pá pum relê. Pá pum reedita. Pá pum rerelê. Pá pum rereedita. Até que pá puta que pari! Nunca estarei ponto! E pronto! Me imagine tocando violão. Sempre. Ininterruptamente.

emailferrari@yahoo.com.br
 

    


© 2017 · FERRARIANDO · Marcelo Ferrari
Scroll Up