Orema da esfinge

12/04/2003 by in category Oremas, Poemas tagged as , , with 0 and 0

Quero pedra no meu caminho.
Pedras tantas que me ocupem os dias
que enfebreçam os músculos
que desertifiquem a boca.
Quero pedra e capim.
Capim teimoso igual cabelo.
Quero chegar lá
mesmo que lá seja aqui
mesmo que chegue em círculos
mesmo que não chegue nunca
senão no sempre.
E que no fim do meu aniversário
volte a engatinhar
sem forças sequer para agradecer
a pedra, o capim e o caminho
que me deram a honra
de vencer deitado
e perder de pé.

Leia mais:
Ouça o grito Ouça o grito da panela Ouça o grito da favela Ouça o grito do feijão ...
Terceira carta — Homem é tudo igual! — disse Joana.Rita, sua amiga de pensão, aprendiz de c...
Fantasma do café com... Acordo cedo e vou tomar café no camelô. Na verdade, cameloa. A moça sim...
Espalhe a palavra!

Marcelo Ferrari


Nasci ontem. Quando fiz dez anos, completei dezoito. Tenho um chinelo azul com alça vermelha que não serve para poesia. Escrevo o que a inspiração põe e a expiração tira. Não uso heterônimos, sou usado por eles. Só sei ser sendo, dançar dançando, escrever escrevendo e ferrari ferrariando. Minha literatura não é pá pum e pronto! É pá pum escreve. Pá pum lê. Pá pum edita. Pá pum relê. Pá pum reedita. Pá pum rerelê. Pá pum rereedita. Até que pá puta que pari! Nunca estarei ponto! E pronto! Me imagine tocando violão. Sempre. Ininterruptamente.

emailferrari@yahoo.com.br
 

    


© 2017 · FERRARIANDO · Marcelo Ferrari
Scroll Up