Nem o Professor Pardal

13/04/2003 by na categoria Crônicas tagged as , , , with 0 and 0

Eu era fascinado por ciência, estava de chinelos, cabelo sujo, sentado no fundão, prestes a ter minha primeira aula de filosofia. A professora entrou na sala, fez chamada e desenhou uma fogueira na lousa. Depois pegou minha mão e começou a me conduzir para fora da Caverna de Platão. Pense numa pessoa em choque. Multiplica por 1000. Eleva a n+1. Era eu tendo a experiencia mais alucinógena da minha vida.

“Professora!!! Ca-la-bo-ca! Apaga essa fogueira! E=mc2. Dois corpos não ocupam o mesmo lugar no espaço. Aguá vira vapor a 100 graus”. Eu berrava, eu implorava. Mas ela não me escutava. Ela havia optado pela cicuta.

Sem usar nenhuma tecnologia, nenhuma química, nenhuma física, sem sequer saber o que estava fazendo, a professora fez algo que nem o Professor Pardal seria capaz de fazer: desmaterializou o universo e o teletransportou para dentro de mim. Não sobrou ninguém do lado de fora. Nem eu.

© 2018 · Marcelo Ferrari