ÍNDICE

Não tenho saco para poesia

13/04/2003 by in category Poemas tagged as , , with 0 and 0

Não tenho saco para poesia!
Aliás, tenho: saco de lixo
Carlos Cabral de Andrade
Pedro Álvares Colombo
Cristovão de Melo Neto
Pai, filho, espirro do santo…
Para mim!
Para eu!
Quer saber?
É span!
Power point!
Farinha do mesmo saco

Não tenho saco para poesia!
Aliás, tenho: saco de risada
Nunca vi coisa
para não dizer
coisa com coisa
Gato não é gato
Saco não é saco
Vida longa a letra morta
que a gente coloca e fica parada
na mesma milonga trivial
Aliás, monovial
de pista única
sem duplo sentido
Pé no saco!

Não tenho saco para poesia!
Aliás, tenho: saco de dormir
Puxei o saco de um poeta
O maluco acreditou!
Ficou tão entusiasmado
que fez um poema
falando do poema
que eu falei
Veio me sacudir
enquanto coçava o saco
Nunca mais!
Saco sem fundo!

Não tenho saco para poesia!
Aliás, tenho: saco de pancada
Não gosto!
Não gosto!
Nãaaaao gosto!
Não pode!
Não pode!
Nãaaaao pode!
Não entendo!
Não quero entender!
Tenho raiva de quem escreve!

Não tenho saco para poesia!
Aliás, não tenho mais saco
para este saco de aliás
Esse poema já deu no saco!
Deu no saco!
Deu no saco!
Não tenho saco para poesia!
Não tenho saco!
Não t.e.n.h.o!
Sacô?

Leia mais: