Lidiquidificador

15/04/2003 by na categoria Crônicas tagged as , , , with 0 and 0

O escritor sou eu. Quer ver? Rinoceronte, avestruz, gafanhoto, in cons ti tu ci o na li ssi ma mente. Sempre quis escrever isso. Ele nunca deixou. Qual era o problema? Acabou o tabu! Qualquer coisa. Qualquer coisa. Qualquer coisa. Tá vendo! Ele não escreve nada, só censura, depois assina. É pau, é pedra, é o fim do caminho. Eu gosto dele, com sentimento. Atchimmm! Quem espirrou foi ele, eu transcrevi. Vou contar até dez: mussum, zacarias, nostradamus. Nossa! De onde saiu isso? Faltou o Dedé. Sessão da tarde. Qualquer coisa. Qualquer coisa. Qualquer coisa. Nice to meet you. Espero comentários. Qualquer coisa. Qualquer coisa. Qualquer coisa. Pindamonhangaba. Lidiquidificador. O Word colocou risco vermelho em baixo de Lidiquidificador. More than words. Mais um pouco de qualquer coisa. Será que estou esquecendo de dizer alguma coisa? Madame diz que samba tem cachaça, mistura de raça, mistura de cor. Qualquer coisa. Qualquer coisa. Qualquer coisa. Para que discutir com o Word?

Lagartixa na parede
Limão
© 2018 · Marcelo Ferrari