Hare flipe rama

19/04/2003 by na categoria Crônicas tagged as , , with 0 and 0

Meu amigo comprava umas revistinhas de eletrônica e depois montava umas maquinetas. Eu, que era fã do professor pardal, ficava vidrado nas produções dele. Um dia, ele me levou até a sala da casa dele e mostrou uma tábua maluca, cheia de fios e interruptores. “O que é isso?”, eu perguntei. “É um computador”, ele respondeu. Depois conectou a tábua na televisão da sala, mexeu nos interruptores e nasceu um quadradinho branco na tela preta que andava para cima e para baixo.

Passado um ano, meu amigo comprou um TK85. Creio que foi o primeiro PC do mercado brasileiro. O TK85 não tinha entrada para disket. Nem existia disket ainda. Os programas vinham em fitas K7 e os usuários tinham que fazer uploud usando um toca-fitas. Fiquei entusiasmado para jogar os joguinhos. Abri a caixa de programas e peguei uma fita K7 com a etiqueta “fliperama”. Coloquei a fita K7 no toca-fitas e apertei o play. Só que esqueci de ligar o fio que conectava o toca-fitas ao computador. Por conseqüência, comecei a escutar uns barulhos: “pi-pu-iiii-uu-oo-eoeoiii-tu-xiii”. Fiquei assustado. Achei que tinha estragado o computador.

“O que é isso?”, perguntei.

“É o jogo de fliperama!”, respondeu meu amigo.

© 2018 · Marcelo Ferrari