Exclusividade minha

22/04/2003 by in category Poemas tagged as , , , , with 0 and 0

Eu será nunca stanislau pablo clarice alberto sidharta geladeira alface siri centopeia panetone parafuso cabide café reboco de azulejo sabonete capim-gordura pão na chapa lagartixa cortador de unha espelho de motel corda de guitarra formiga olho mágico pinga com mel urso de pelúcia gasolina nem gasolina urso de pelúcia pinga com mel olho mágico formiga corda de guitarra espelho de motel cortador de unha lagartixa pão na chapa capim-gordura sabonete reboco de azulejo café cabide parafuso panetone centopeia siri alface geladeira sidharta alberto clarice pablo stanislau nunca será eu.

Leia mais:
Foda-se Se a comida está sem sal (foda-se) Se enfiou o pé na jaca (foda-se) Se...
Literatura papum Escrevo o que a inspiração põe e a expiração tira.  Não uso heterônimos, so...
Notícias de lá Trago notícias de lá. Lembra de lá? Lá onde lá não existe? Lá onde l...
Espalhe a palavra!

Marcelo Ferrari


Nasci ontem. Quando fiz dez anos, completei dezoito. Tenho um chinelo azul com alça vermelha que não serve para poesia. Escrevo o que a inspiração põe e a expiração tira. Não uso heterônimos, sou usado por eles. Só sei ser sendo, dançar dançando, escrever escrevendo e ferrari ferrariando. Minha literatura não é pá pum e pronto! É pá pum escreve. Pá pum lê. Pá pum edita. Pá pum relê. Pá pum reedita. Pá pum rerelê. Pá pum rereedita. Até que pá puta que pari! Nunca estarei ponto! E pronto! Me imagine tocando violão. Sempre. Ininterruptamente.

emailferrari@yahoo.com.br
 

    


© 2017 · FERRARIANDO · Marcelo Ferrari
Scroll Up