Dono

23/04/2003 by in category Poemas tagged as , , with 0 and 0

Não usa coleira
Não corre atrás de osso
Tácagandando
Quando lhe perguntam o nome
responde desbocado:
— Dont know!
Tão fluentemente
que virava dono
— Dono do quê?
— Donodumeunariz!
responde
às vezes em russo
às vezes em urso
às vezes com cê-cedilha
às vezes com perna
de gafanhoto.

Leia mais:
Praga para pegar bob... Que seus sonhos não se realizem. Que o peido saia molhado. Que o bolo nã...
Dança dos famosos Tem um pedaço da letra que diz: “Bob Marley… Peter Tosh”. Mas não adianta di...
Boboware E se felicidade for spam que seu outlook deleta sem abrir. E se felicid...
Espalhe a palavra!

Marcelo Ferrari


Nasci ontem. Quando fiz dez anos, completei dezoito. Tenho um chinelo azul com alça vermelha que não serve para poesia. Escrevo o que a inspiração põe e a expiração tira. Não uso heterônimos, sou usado por eles. Só sei ser sendo, dançar dançando, escrever escrevendo e ferrari ferrariando. Minha literatura não é pá pum e pronto! É pá pum escreve. Pá pum lê. Pá pum edita. Pá pum relê. Pá pum reedita. Pá pum rerelê. Pá pum rereedita. Até que pá puta que pari! Nunca estarei ponto! E pronto! Me imagine tocando violão. Sempre. Ininterruptamente.

emailferrari@yahoo.com.br
 

    


© 2017 · FERRARIANDO · Marcelo Ferrari
Scroll Up