Contado nos dedos

24/04/2003 by in category Poemas tagged as , , , with 0 and 0

O amor que você me deu
ainda não acabou
transformei-o em cajuzinhos
está em cima do armário
envolto em papel alumínio
dentro de um pote
vez ou outra
quando dá boca salgada
pego um e degusto
feito hóstia
evito ir com sede ao pote
pois o amor que você me deu
é amor contado
nos dedos.

Leia mais:
Criatividade A criatividade sai pelo cu do novo como galinha que defeca um palpite fora d...
Eu gosto dela Ela curte uma parada transcendental Eu toco violão Ela estava marcada ...
Confessionário de Do... Ana havia se tornado uma devedora compulsiva e resolveu buscar ajuda num gru...
Espalhe a palavra!

Marcelo Ferrari


Nasci ontem. Quando fiz dez anos, completei dezoito. Tenho um chinelo azul com alça vermelha que não serve para poesia. Escrevo o que a inspiração põe e a expiração tira. Não uso heterônimos, sou usado por eles. Só sei ser sendo, dançar dançando, escrever escrevendo e ferrari ferrariando. Minha literatura não é pá pum e pronto! É pá pum escreve. Pá pum lê. Pá pum edita. Pá pum relê. Pá pum reedita. Pá pum rerelê. Pá pum rereedita. Até que pá puta que pari! Nunca estarei ponto! E pronto! Me imagine tocando violão. Sempre. Ininterruptamente.

emailferrari@yahoo.com.br
 

    


© 2017 · FERRARIANDO · Marcelo Ferrari
Scroll Up