Contado nos dedos

24/04/2003 by in category Poemas tagged as , , with 0 and 0

O amor que você me deu
ainda não acabou:
transformei-o em cajuzinhos.
Está em cima do armário
envolto em papel alumínio
dentro de um pote.
Vez ou outra
quando dá boca salgada
pego um cajuzinho
e degusto
feito hóstia.
Evito ir com sede ao pote
pois o amor que você me deu
é amor contado
nos dedos.

Relacionados