ÍNDICE (A-Z)

Carnaval caipira

24/04/2003 by in category Crônicas tagged as , , , , , , with 0 and 0

Donana pega um balde de latão e sai pelo terreiro.

Enquanto caminha, vira o balde em posição de tambor e começa a batucar uma folia de reis.

As galinhas, hipnotizadas pelo samba caipira, vão surgindo das árvores, das cestas, das moitas e até de outras dimensões.

Donana enche o balde com grãos de milho e o tambor vira um chocalho.

As galinhas rodam ao redor de Donana feito mestre sala.

Por um instante, o milho, Donana, as galinhas e o terreiro se tornam indivisíveis.

Ela apanha um punhado de grãos e os arremessa ao ar feito confete. O terreiro fica salpicado de alaranjado.

É um alvoroço! Pierrôs e colombinas pulando e bicando o chão.

Segue-se um frevo intenso.

Só sobram cinzas.

Cara que risca os fósforos
Carta a quem se presta
© 2017 · Marcelo Ferrari