Afasta de mim esse táxi

26/04/2003 by na categoria Crônicas tagged as , , , , with 0 and 0

Olho pela janela do táxi e vejo um ônibus.

Viajo na ideia de que a vida é um coletivo de almas. Uns sobem, outros descem, fica cheio, vazio, meio-vazio, meio-cheio e cada ponto é final e partida. Tem branco, negro, japonês, loiro, magro, alto, gordo, baixo, criança, velho, empregado e patrão. Raimundos e fundos, Veras e esperas, Ritas e ritos, Dolores e dores, Celestes e Socorros, todos dividindo o mesmo espaço e destino. De repente, um calor misto de cumplicidade e ternura, me incendeia o peito. Debruçado sobre os próprios umbigos, remoendo as próprias entranhas, estamos bebendo a mesma bebida amarga.

Olho pela janela do ônibus e vejo um táxi.

Está consumado!

Admita
Água e sabão
© 2018 · Marcelo Ferrari